Chana de Moura trabalha com possibilidades de sensibilização através da exploração de diversas mídias. Em sua obra, que aborda questões de seu universo íntimo de relações e crenças, busca desdobrar as conexões que estabelece em seus estudos sobre universos místicos e os mistérios da natureza, sua maior fonte de inspiração. Como se estivesse sempre em busca de tornar visível aquilo que os olhos não podem ver, seus trabalhos surgem em forma de fluxo, como instalações de ideias, sentimentos e pensamentos. Em plataformas como desenhos, gravuras e objetos, Chana organiza e transpõe informações coletadas nessas investigações, que não buscam acuidade científica, mas sim uma coerência emocional e, se acaso se aproximar de linguagem filosófica ou científica, o faz de forma particularmente amadora.